George Nelson

George Nelson (1908–1986) foi um dos fundadores do Modernismo Americano, juntamente com Charles e Ray Eames.

Ao escrever sobre a trajetória de sua extraordinária carreira de mais de 50 anos, George Nelson descreveu uma série de “lampejos” criativos—momentos de inspiração repentina “quando um único indivíduo descobre que está conectado a uma realidade que jamais sonhara”.

Um dos primeiros lampejos ocorreu nos anos 30, quando ele era um aluno de arquitetura em Roma. Antes de voltar para casa, uma idéia lhe ocorreu: Ele viajaria pela Europa e entrevistaria os principais arquitetos modernos na esperança de publicar os artigos nos EUA. Ele conseguiu, e no processo apresentou a comunidade de design americana à vanguarda européia. Isso deu início a uma seqüência do que ele chama de oportunidades “de ouro” de carreira, que eram nada mais do que o efeito inevitável de seu brilho como designer, professor e autor.

Nelson disse que para um designer lidar produtivamente com as necessidades humanas, “ele deve fazer primeiro uma radical e consciente ruptura de todos os valores que identifica como anti-humanos”. Designers também devem constantemente ficar atentos às conseqüências de suas ações em relação às pessoas e à sociedade. De fato, ele declarou que “o design como um todo não é nada além do que um processo de relacionar tudo a tudo”. Assim, ele disse que em vez de especialização, os designers devem cultivar uma ampla base de conhecimento e entendimento.

Nelson fez isso como poucos são capazes, e, com a ajuda de lampejos oportunos, ajudou a definir o design moderno e humano.